fbpx
Você está aqui:Blog»Dicas de Saúde e Beleza»Massagem com Velas - Midas Medicina & Estética no Centro RJ
Quinta, 16 Julho 2020 16:00

Dieta Ortomolecular: Que vantagens traz à sua saúde?

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

A dieta ortomolecular tem como objetivo restabelecer o equilíbrio químico do organismo. O conceito ortomolecular significa, moléculas exatas na quantidade certa. Assim, este regime corrige carências de nutrientes e excessos de vitaminas, recorrendo a um plano alimentar personalizado.

Tal como o cigarro, álcool, stress e poluição, também uma alimentação desequilibrada contribui para a formação de radicais livres. Estes são responsáveis pelo envelhecimento precoce e pelo aumento do risco de desenvolver problemas de saúde.

Se existir excesso e/ou insuficiência de uma vitamina ou nutriente, a ação de determinados órgãos fica comprometida, prejudicando a ação de outros. Por isso, a dieta ortomolecular atua no organismo como um todo, concedendo os elementos essenciais ao seu bom funcionamento.

Cada pessoa tem necessidades nutricionais específicas, pelo que o plano alimentar é sempre personalizado. Quando necessário, o profissional de saúde recomenda a toma de suplementos vitamínicos e nutricionais. Contudo, o seu consumo deve restringir-se a um determinado período de tempo.

Traços gerais da dieta ortomolecular

A terapia ortomolecular procura sempre educar para uma alimentação saudável. Os planos são adequados às necessidades de cada indivíduo, mas há regras que devem ser seguidas por todos:

  • Comer de 3 em 3 horas;
  • Evitar refeições rápidas;
  • Não consumir gordura e açúcares em excesso;
  • Diminuir a ingestão de alimentos industrializados, pobres nos chamados nutrientes vivos;
  • Apostar no consumo de fruta, vegetais, leguminosas e sementes, bem como cereais integrais;
  • Seguir uma dieta rica em alimentos frescos e orgânicos;
  • Consumir alimentos funcionais que, para além de nutrir, fortalecem o sistema imunológico, combatem os radicais livres e aceleram o metabolismo;
  • Beber bastante água, dentro e fora das refeições;
  • Evitar o consumo de fritos;
  • Reduzir a quantidade de sal usada na confeção dos alimentos;
  • Fazer refeições ligeiras ao jantar, evitando o consumo de carbohidratos;
  • Substituir as carnes vermelhas por carnes brancas ou peixe.

Recomendações e proibições alimentares

A dieta ortomolecular abrange um leque variado de alimentos e não proíbe nenhum grupo alimentar. O que importa é a qualidade do alimento. Por isso, há restrições na forma como é cultivado e preparado:

  • Os carbohidratos refinados devem ser substituídos por integrais;
  • Os alimentos devem ser orgânicos, ou seja, mais nutritivos e livres de produtos químicos, como por exemplo pesticidas e fertilizantes;
  • A proteína animal também deve ser orgânica;
  • O leite e seus derivados devem ser desnatados.

As proibições dependem de caso para caso. Mas, em geral, deve evitar-se:

  • Leite de vaca;
  • Manteiga e margarina;
  • Carne vermelha;
  • Produtos industrializados (refrigerantes, conservas, etc.);
  • Adoçante;
  • Álcool;
  • Gema de ovo.

Vantagens da dieta ortomolecular

  • É um regime alimentar muito natural;
  • Ajuda a desenvolver hábitos alimentares saudáveis;
  • Exige o acompanhamento de um profissional, o que significa que saberá sempre como está o seu organismo;
  • É personalizada;
  • Não tem grandes restrições alimentares;
  • Ajuda a emagrecer de forma saudável;
  • Acelera o metabolismo e melhora o funcionamento do intestino;
  • Não tem contraindicações associadas.

É importante referir que, apesar das vantagens, a dieta ortomolecular pode ser cara, por ter na sua base produtos orgânicos. Além disso, uma vez que assume num plano personalizado, implica confecionar refeições diferentes para cada pessoa. Por isso, exige trabalho e perseverança.

O que fazer para aderir a este regime alimentar

Antes de iniciar a dieta ortomolecular, deve marcar uma consulta de Nutrição, a fim de realizar uma avaliação nutricional. Os exames efetuados calculam a concentração de vitaminas e minerais no organismo, através de:

  • Quantificação de metais;
  • Quantificação de ácidos gordos;
  • Avaliação de stress oxidativo;
  • Estudo da flora intestinal;
  • Deteção de intolerâncias alimentares;
  • Prova da hiperpermeabilidade intestinal.

Depois de obtidos os resultados, o profissional de saúde elabora um plano alimentar adequado ao paciente. Se necessário, recomenda a toma de suplementos de vitaminas, minerais, aminoácidos e antioxidantes.

Informações adicionais

  • Responsável pela Gestão de Conteúdo: Pegasus Web Solution - Agência de Comunicação, Marketing e Publicidade Digital
Ler 86 vezes

Itens relacionados (por marcador)

Mais nesta categoria: « Dia Mundial do Combate ao Câncer

Gostou, Curta!

Saúde e Bem Estar