fbpx
Você está aqui:Blog»Corpo e Rosto»Cirurgia íntima tem procura crescente
Terça, 16 Setembro 2014 00:00

Diferença entre as olheiras azuis e as castanhas?

Avalie este item
(0 votos)

Dermatologista tira dúvidas e revela tudo sobre olheiras e qual é a diferença entre as olheiras azuis e as castanhas. Confira!

Olheiras

Nada mais que uma diferença de tonalidade entre as pálpebras inferiores e o resto da face. Falando assim, até parece que elas não têm tanta importância. Mas esta desigualdade resulta em grandes conseqüências: aspecto de cansaço, de mais idade e, em casos extremos, a impressão de se estar drogado ou alcoolizado. Enfim, quem é acometido por este mal sofre em saber que sua aparência não lembra saúde.

Há poucas informações sobre a olheira, mesmo nos livros de medicina. A cura total, eterna, é praticamente impossível. Porém há muitas formas de ameniza-las, ou mesmo escondê-las.

O primeiro passo antes de se optar dentre as várias formas de amenizar as olheiras, é diagnosticar a causa real do problema, através de avaliação médica. Basicamente são dois os motivos:

  • OLHEIRAS AZUIS - Excesso de vasos sanguíneos
  • OLHEIRAS CASTANHAS - Excesso de pigmentação (melanina) na pálpebra inferior. Este último, geralmente, é consequência da idade.

1- Excesso de vasos sanguíneos

As olheiras azuis são consequência da má circulação sanguínea e pode estar associada à hereditariedade, ao estresse e à alimentação pobre em nutrientes.

Pessoas de pele mais morena geralmente têm mais visível a diferença de cor no rosto. Entre os jovens, a hereditariedade é causa número um. Infelizmente ela é responsável pelo tipo de olheira mais difícil de ser tratada. Trata-se do excesso de vascularização, ou seja, concentração desproporcional de vasos sob a pálpebra. Aqui, um diagnóstico informal pode ser feito no espelho. Estique a pálpebra inferior. Se as veias ficarem bastante aparentes, este é o seu mal.

A vascularização intensa ocorre principalmente em pessoas de grupo étnico onde exista esta tendência. Os principais grupos são os descendentes de árabes, turcos, hindus, ibéricos. Aqui, a pele não tem mudança de cor, mas a pálpebra é mais escura devido a transparência dos vasos dilatados. Neste caso, é comum o agravamento do problema quando os vasos sofrem pequenos sangramentos. Fora das veias, o sangue fica então "preso" na região, e seu pigmento -a hemossiderina- toma a pálpebra mais escura. E, já que existe excesso de vascularização na região, os pequenos derrames neste caso não são raros. Com o tempo, as manchas atingem a pele, que então passa a exigir tratamento para clareamento.

A grande quantidade de vasos torna o escurecimento da região suscetível a mudanças. Conforme eles se dilatam, maior o escurecimento. A época próxima á menstruação, a desidratação da pele, doenças em geral, medicamentos fortes, bebidas alcoólicas, fumo, café e, finalmente, cansaço - tudo isto torna mais visíveis as veias sob a pálpebra. Mesmo quem não tem tendência hereditária, mas tem formato de rosto em que os olhos são "redondos", sofrem com olheiras. Para muitos que tem olhos fundos, o problema se estende até as pálpebras superiores. Aqui, somente uma boa maquiagem pode reduzir o problema.

2 - Excesso de pigmentação (melanina) na pálpebra inferior

O culpado pelo segundo caso é o excesso de pigmentação provocado pelo sol. Quem tem predisposição a produzir mais melanina também pode ser vítima das olheiras castanhas. Com injeções de ácido hialurônico é possível diminuí-las, já que a substância injetada atrai água para os tecidos, promovendo melhora no aspecto do local tratado.

Em pessoas de mais idade, esse tipo de olheira é mais comum, causada pelo excesso de pigmentação -a melanina. A luz ultravioleta, após anos e anos de exposição ao sol filada nesta região, onde a pele é mais fina, ficando mais escura que o resto do rosto! Este problema pode, eventualmente, ocorrer também em pessoas mais jovens, mas somente quando há a tal tendência. Por sorte, o acúmulo de melanina, chamado de hipercromia, é suscetível a vários tratamentos.

Para disfarçar as olheiras:

Maquiagem

Para manter a naturalidade e evitar que a pálpebra fique esbranquiçada, o corretivo deve ter um tom mais claro que a pele e ter textura muito fina. Se bem usados, eles clareiam e valorizam a cor dos olhos. A base e o pó são complementos para atenuar vincos e outras imperfeições da pele.

*Corretivo: fluído não oleoso, claro ou médio, de efeito natural. Na hora de maquiar, passe duas gotas na mão e aplique com a polpa dos dedos, de acordo com a necessidade e tamanho dos olhos. O ideal é que seja aplicada após a base, para dar melhor acabamento. Para quem tem olhos fundos, é ideal passá-lo nas duas pálpebras. Este é um truque quando a olheira é muito profunda, a fim de evitar o peso na maquiagem.

Compressas vasoconstritoras

Ao menos três vezes por dia, com água gelada para efeito de vasoconstrição. Efetiva apenas em caso de excesso de vascularização. Devem ser feitas com substâncias calmantes, como os derivados de camomila (azuleno e alfabizabolol), ou utilizando o próprio saché de chá. Os extratos da planta rutina (entre 0,5% e 2%), loção à base de castanha da índia e loção tônica para pele seca embebida em algodão também são alternativa para atenuar a olheira. Em geral estes usos tópicos não exigem acompanhamento médico, mas a melhora só dura o tempo em que o vaso ficar contraído.


Tratamentos mais efetivos para amenizar as olheiras

Uso e substâncias claeadoras
Para ambos os casos de olheiras o ideal para amenizar as olheiras são substâncias despigmentantes ou clareadoras, associado á hidroquinona, em uso tópico três vezes ao dia. Entretanto, se usada em concentração muito alta a hidroquinona pode deixar uma mancha branca definitiva na pele,.

Mais fraco que ela, o ácido Kógico, o ácido fítico e o arbutin têm menor efeito colateral. Cremes à base de vitamina C também são indicados para os casos, por terem efeito clareador. É importante, sempre, associar seu uso a fotoproteção.

Vitaminas
Cremes à base de vitamina A, de vitamina C e de ácido mandélìco são todos utilizados, mas devem sempre estar associadas fotoproteção.

Loções e cremes à base de vitaminha K são indicadas nos problemas de vascularização intensa por terem a capacidade de evitar as pequenas hemorragias que aumentam a tonalidade da pele. Se forem manipulados, devem ser a 1 %.

Esfoliação
No geral feita com ácidos alfahidroxiácidos ou retinóico

Peeling químico
podem ser usados o ácido trícloroacético, o glicólico a 70%, e solução de Jessner

Laser - Tratamentos Médicos
Dye (corante, em inglês) - difícil de ser encontrada em clinicas no Brasil, é ideal para amenizar a coloração dos vasos dilatados

Laser de C02 
Vaporiza a água e a queima induz a troca de pele, por uma mais clara. 

Ao menos por duas semanas a pele fica muito sensibilizada. Mais indicado para quem quer aproveitar também para resolver outros problemas no rosto, como rugas e envelhecimento;

Luz Pulsada
Embora seja indicada também para atenuar a melanina, oferece melhor efeito nos casos de vascularização intensa. Não é laser, mas uma luz muito intensa que também queima, após anestesia tópica. Afinidade pelo pigmento - a Luz é aplicada e então o alvo (melanina) é destruído. Mais ou menos 10 sessões.

FALSA OLHEIRA

Muitas mulheres, geralmente de idade mais avançada, pensam ter olheiras quando na verdade têm outro problema: bolsa de gordura localizadas na parte inferior das pálpebras. A confusão acontece pois seu efeito visual resulta em sombras abaixo dos olhos.

Neste caso, quando o exercício de contração da pálpebra inferior não surte efeito, a única indicação é a cirúrgica, através da exerese (remoção) ou uma espécie de plástica que levanta o músculo orbicular, da pálpebra inferior, que é suturada na parede lateral da órbita. Na medicina, o processo é denominado blefaroplastia subperiostal. Em palavras mais simples, a pele das extremidades da pálpebra inferior é costurada" alguns centímetros para cima. Some, aqui, o problema.

Já a retirada da bolsa pode ser feita de duas formas. A transconjuntival é feita via laser, afastando-se a pálpebra inferior e, após colocado o protetor ocular, corta-se a bolsa e a coagula. Quando o diagnóstico aponta também flacidez da pele, então através de um corte subciliar descola-se o músculo e a bolsa é retirada.

0 SONO, UM FORTE ALIADO

O sono é o tratamento mais barato para a pele. Fundamental, permite que a pele se renove. Depois de uma noite bem dormida, ela fica linda e descansada. Cada organismo tem necessidades diferentes em relação a ele. Há pessoas que se sentem bem com 5 horas, outras precisam de 10 para recompor suas energias. O importante é descobrir a sua necessidade de sono diário e respeitar este período. A média é de 8 horas e se você é daquelas que pensam que dormir é perda de tempo, saiba que durante o sono o organismo libera hormônios indispensáveis para urna série de processos vitais importantíssimos.

Muitas atividades de regeneração são feitas durante o sono. Quer exemplos? O cansaço estimula a flacidez, acentuando o problema da bolsa de gordura. O estresse orgânico acentua a vasodilatação e a produção de melanina, acentuando a olheira.

Antes de dormir pense em algo agradável e divertido para descontrair a musculatura do rosto.
Aprenda a fazer alguns exercícios faciais. Além de prevenirem a flacidez, eles ajudam. a relaxar a musculatura da face.

Informações adicionais

  • Responsável pela Gestão de Conteúdo: Pegasus Web Solution - Agência de Comunicação, Marketing e Publicidade Digital
Ler 6534 vezes

Gostou, Curta!

Saúde e Bem Estar